Depressão Sintomas 2022: Causas e tratamentos recomendados por médicos

Sumário

Guia passo a passo para depressão. No tratamento você tem a opção de entender as causas; principais sintomas; tipos de tratamentos e seus efeitos; e medicamentos mais apropriados.

Os casos de depressão aumentaram bastante na última década em todo o mundo. Tanto que a OMS demonstra grande preocupação, pois ela já considera essa doença o desafio do século.

O que é depressão?

A depressão é um transtorno afetivo grave caracterizado por um abatimento profundo e prolongado. Muitas pessoas não percebem que estão depressivas, já que essa é uma doença silenciosa. Por isso, muitos depressivos sofrem sem compreender exatamente as causas do próprio sofrimento.

Além disso, muitas pessoas depressivas perdem o interesse em atividades que antes considerava prazerosas. Dessa forma, o depressivo não tem motivação pela vida, podendo sentir um vazio e infelicidade persistentes. O depressivo pode desenvolver tanto problemas de saúde físicos quanto mentais e emocionais.

Segundo médicos, a depressão provoca mudanças químicas no cérebro de uma pessoa. Desse modo, os neurotransmissores e substâncias relacionadas ao humor e prazer diminuem bastante. Por isso, o depressivo não consegue sentir satisfação ou prazer, pois os níveis de serotonina e dopamina estão desequilibrados.

O Centro de Valorização da Vida, CVV, presta um ótimo serviço de apoio emocional para depressivos. A organização tem o objetivo de evitar que os seus membros façam escolhas perigosas ou fatais, como o suicídio. O serviço não só é gratuito, mas também sigiloso, tanto por telefone, quanto chat, e-mail e Voip.

O telefone do CVV é o 188. Caso queira, a pessoa com depressão pode acessar o cvv.org.br para conversar por chat.

Causas

Segundo médicos, a depressão possui diversas causas, sendo as mais frequentes:

  • Disfunções hormonais, como problemas na tireoide
  • Estresse e ansiedade crônicos
  • Excesso de estímulos, como o uso abusivo de redes sociais ou internet
  • Excesso de peso, dieta desequilibrada e sedentarismo
  • Fibromialgia ou outras doenças crônicas
  • Perdas ou separações, como divórcio, luto ou demissão de um emprego
  • Traumas no corpo e na mente, como abusos ou violência doméstica
  • Transtornos psiquiátricos correlatos
  • Vícios em drogas lícitas e ilícitas, como álcool ou drogas pesadas

Sintomas

Mesmo que a depressão seja caracterizada por um profundo abatimento, apenas um especialista pode confirmar a doença. Afinal, nem todo depressivo demonstra para outras pessoas o sofrimento que passa. Logo, esse transtorno possui diversos sintomas e sinais que são sutis e merecem atenção, como:

  • Ansiedade, angústia e irritabilidade
  • Baixa autoestima e ideias pessimistas
  • Cansaço frequente, desânimo e dificuldades para fazer tarefas simples
  • Dificuldades para sentir prazer em hobbys ou atividades cotidianas
  • Diminuição da libido
  • Interpretação negativa e equivocada da realidade
  • Mudanças no apetite e peso
  • Problemas de concentração e esquecimento
  • Sensação de apatia ou desinteresse
  • Sensação de desesperança, medo, insegurança e desespero
  • Sensação de fracasso
  • Sono irregular

Fatores de risco

Muitas pessoas têm uma chance maior de desenvolver depressão por causa de fatores de risco. Embora alguns fatores lembrem sintomas, médicos afirmam que um problema pode levar ao outro. Ou seja, uma pessoa com ansiedade tem chances de desenvolver depressão e vice-versa. Os fatores mais comuns são:

  • Ansiedade crônica
  • Distúrbios hormonais
  • Enxaqueca crônica
  • Estresse crônico
  • Excesso de peso
  • Histórico na família
  • Pancadas e golpes na cabeça
  • Problemas cardíacos
  • Sedentarismo e dieta pouco saudável
  • Separações afetivas
  • Transtornos psiquiátricos correlatos
  • Traumas psicológicos e físicos
  • Uso abusivo de internet
  • Vícios em drogas lícitas e ilícitas

Diagnóstico da depressão

Como o diagnóstico da depressão é clínico, apenas um psiquiatra deve fazê-lo. Nós devemos lembrar que a depressão causa disfunções hormonais no corpo. Ou seja, não é uma simples tristeza como muitas pessoas acreditam. Portanto, o depressivo deve receber o diagnóstico de profissionais capacitados para receber o seu tratamento.

Tratamento

A princípio, o tratamento para depressão usa medicamentos antidepressivos para regular a química cerebral do paciente. Dessa forma, o depressivo terá um equilíbrio maior das suas emoções, pensamentos e atitudes negativas. Além de aliviar os sintomas, o paciente sentirá um desgaste emocional menor.

O médico também indicará a melhor abordagem para cada paciente, conforme o caso. Se necessário, ele indicará mudanças na duração do tratamento, bem como na dosagem. O profissional sempre avaliará o progresso da pessoa depressiva para fazer os ajustes adequados.

Além disso, a psicoterapia ajudará o paciente a reestruturar o lado psicológico. Desse modo, o depressivo entenderá melhor o processo da doença no seu organismo e a solução para os seus conflitos. Logo, ele perceberá quando novas crises podem surgir no futuro.

O Sistema Único de Saúde faz um trabalho importante em relação ao tratamento de pessoas com depressão e outras doenças. Pessoas depressivas fazem o acompanhamento e tratamento na Atenção Básica ou CAPS, nos Centros de Atenção Psicossocial.

Nesses núcleos do SUS o paciente e sua família recebem assistência multiprofissional e cuidados de saúde específicos. Se necessário, o depressivo pode buscar acolhimento em períodos noturnos ou receber atenção em situações mais complexas.

Por fim, o SUS também disponibiliza medicamentos para aliviar ansiedade, depressão e estresse. Os pacientes têm acesso a medicamentos, como Fluoxetina, Amitriptilina, Clomipramina e Nortriptilina, durante o tratamento.

Autoajuda melhora o tratamento

Além do tratamento para depressão, o paciente deve ter hábitos de autoajuda e enfrentamento. Mesmo que a depressão seja bastante incapacitante, as atitudes do depressivo fazem toda a diferença durante o tratamento.

Por exemplo, médicos recomendam exercícios para reduzir os sintomas da doença. Tanto que o paciente pode sentir uma melhora significativa no humor após fazer atividades físicas regulares.

Além disso, é importante que o depressivo tenha uma qualidade de sono regular. Para tanto, ele deve estabelecer horários para dormir e acordar. Ademais, o depressivo deve evitar o uso de eletrônicos ou energéticos perto da hora de dormir.

homem com tristeza profunda
reprodução internet

Por fim, uma dieta equilibrada torna as funções corporais mais equilibradas. E evitar o uso de álcool e outras substâncias evita que a mente fique presa aos vícios. A mudança de hábito pode ser difícil no início, mas o depressivo sentirá uma grande melhora após tomar essas atitudes.

Lidar com a depressão nunca será tarefa fácil, mas é possível superá-la. Todos nós devemos fazer visitas regulares ao médico a fim de prevenir e acompanhar problemas de saúde. Em caso de diagnóstico positivo para a doença, o tratamento deve começar o quanto antes.

Além disso, o depressivo deve saber que pode contar com ajuda especializada. Um psiquiatra indicará o melhor tratamento para depressão adequado a cada paciente. E o Centro de Valorização da Vida e o SUS estão prontos para ofertar um acompanhamento e suporte de qualidade.

Importante:
Somente médicos e especialistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis nesta página possuem apenas caráter educativo.

Referências

  • PAPADAKIS, Maxine; McPHEE, Stephen. Diagnóstico clínico y tratamiento 2017. 56 a. México: McGraw Hill, 2017. 1074-1088.
  • MINISTERIO DE SANIDAD, SERVICIOS SOCIALES E IGUALDAD. Guía de Práctica Clínica sobre el Manejo de la Depresión en el Adulto. Madrid: Agencia de Evaluación de Tecnologías Sanitarias de Galicia, 2014.

Por favor, aguarde…

0